PARA MULHERES NA CIÊNCIA 2011 DIVULGA AS SETE LAUREADAS

Sete jovens e talentosas cientistas brasileiras são as vencedoras do Prêmio L’Oréal / UNESCO / ABC Para Mulheres na Ciência 2011 e receberão bolsa-auxílio, em reais, no valor equivalente a US$ 20 mil para ajudar no desenvolvimento de seus projetos de pesquisa. O anúncio é feito pelo júri do Prêmio, que é presidido pelo Professor Jacob Palis, presidente da Academia Brasileira de Ciências (ABC). A cerimônia de entrega dos prêmios será em 28 de setembro, no Rio de Janeiro.

As vencedoras da edição 2011 são: Ana Luiza Cardoso Pereira (SP), Daniella Bonaventura (MG), Josimari Melo de Santana (SE), Mariana Antunes Vieira (RS), Rubiana Mara Mainardes (PR), Tatiana Barrichello (SC) e Viviane Ribeiro Tomaz da Silva (MG).

Desde 2006, a cada ano, sete jovens cientistas são escolhidas pela qualidade e pelo potencial de suas pesquisas, desenvolvidas em instituições brasileiras. São projetos que ajudam a mudar o mundo, colocando as mulheres na linha de frente do conhecimento e fomentando sua participação no tão concorrido cenário científico.

No total, 40 cientistas já foram beneficiadas pelo Prêmio Para Mulheres na Ciência, que, por meio do auxílio financeiro, possibilita dar continuidade aos projetos, além de beneficiar as vencedoras com a visibilidade que o prêmio lhes traz.

Em quatro áreas de atuação, aproximadamente 400 jovens cientistas brasileiras inscreveram seus estudos nas áreas das Ciências Físicas, Ciências Químicas, Ciências Matemáticas e Ciências Biomédicas, Biológicas e da Saúde. A difícil tarefa de escolher as sete cientistas vencedoras ficou a cargo do júri formado por um grupo de oito renomados membros da Academia Brasileira de Ciências, uma representante da L’Oréal e um representante da UNESCO. O júri é presidido pelo Prof. Jacob Palis, reconhecido cientista que conquistou recentemente o Prêmio Balzan por seu trabalho com Sistemas Dinâmicos.

 

Sobre as laureadas de 2011:

Nas áreas Ciências Físicas, Ciências Químicas, Ciências Matemáticas, as cientistas contempladas são:

  • Ana Luiza Cardoso Pereira, da Faculdade de Ciências Aplicadas da UNICAMP, foi a escolhida na área de Ciências Físicas por seu projeto “Propriedades Eletrônicas e Efeitos de Desordem em Mono e em Multi-Camadas de Grafeno”;

  • Mariana Antunes Vieira, do Departamento de CCQFA da Universidade Federal de Pelotas, foi a contemplada na área de Ciências Químicas por seu projeto: “Desenvolvimento de Métodos para a Determinação de Contaminantes Inorgânicos em Glicerina obtida como Coproduto da Produção de Biodiesel”;

  • Viviane Ribeiro Tomaz da Silva, do Departamento ICEx/Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais, foi a escolhida na área de Ciências Matemáticas por seu projeto: “*-Cocaracteres de M_{1,1}(E)”.

Nas áreas de Ciências Biomédicas, Biológicas e da Saúde, as cientistas contempladas são:

  • Daniella Bonaventura, do Departamento de Farmacologia – ICB da Universidade Federal de Minas Gerais, por seu projeto: “Estudo das alterações hemodinâmicas e da reatividade vascular em um modelo animal de Dengue (DENV-3)”.
  • Josimari Melo de Santana, do Departamento de Fisioterapia da Universidade Federal de Sergipe, por seu projeto: “Efeito e Mecanismo de Ação da Eletroestimulação Analgésica na Fibromialgia: Estudo Pré-clínico em Ratos”;
  • Rubiana Mara Mainardes, da área de Ciências da Saúde/Farmácia da Universidade Estadual do Centro-Oeste, por seu projeto: “Desenvolvimento Tecnológico e Avaliação da Eficácia e Toxicidade de Sistemas Nanoestruturados Poliméricos Contendo Anfotericina B”;
  • Tatiana Barrichello, da Universidade do Extremo Sul Catarinense, por seu projeto: “Avaliação Comportamental, Neuroquímica e a Integridade da Barreira Hematoencefálica em Cérebro de Ratos Jovens Induzidos a Meningite Pneumocócica: Inibidores do TNF-a e Metaloproteinases de Matriz um Possível Papel Terapêutico?”.

 

Sobre o For Women in Science
Lançado em 1998, o For Women in Science, fruto de uma parceria entre a L’Oréal e a UNESCO, foi o primeiro prêmio dedicado às cientistas mulheres em todo o mundo. Depois de 13 anos já premiou 67 notáveis cientistas de 30 países diferentes, entre elas as brasileiras Mayana Zatz, geneticista da USP; Belita Koiller, física da UFRJ; Lucia Previato, biomédica da UFRJ, e a astrofísica Beatriz Barbuy, da USP. Além do reconhecimento às grandes cientistas mundiais, o programa, em seus desdobramentos nacional, regional e internacional, já incentivou mais de 1.000 jovens cientistas de 107 diferentes países a darem continuidade às suas carreiras e seus importantes projetos de pesquisa. Duas laureadas internacionais foram agraciadas, em 2009, com o Prêmio Nobel de Química e de Medicina.