1909-1956 : Os primeiros passos, construindo um modelo

Os primeiros passos, construindo um modelo

L’Oréal d’Or

© Arquivo L'Oréal/Jean-Claude, Todos os direitos reservados

L’Oréal d’Or

© Arquivo L'Oréal/Jean-Claude, Todos os direitos reservados

Em 1909, Eugène Schueller, um jovem químico com espírito empreendedor, fundou a empresa que se tornaria o Grupo L’Oréal. Tudo começou com uma das primeiras colorações capilares que ele formulou, fabricou e vendeu para cabeleireiros parisienses. Com isto, o fundador do grupo criou o primeiro elo daquilo que ainda é o DNA da L’Oréal: pesquisa e inovação a serviço da beleza.

Ano

1909

  • © L'Oréal

    Eugène Schueller se forma pela escola de engenharia química nacional da França, a École Nationale Supérieure de Chimie de Paris em 1904 e cria a empresa que mais tarde se tornaria a L’Oréal, a Société Française des Teintures Inoffensives pour Cheveux, em 30 de julho de 1909.
    Como um jovem químico em 1907, Schueller demonstra sua capacidade de ter novas ideias ao criar sua primeira fórmula de tintura capilar sob o nome Oréal, usando uma mistura de compostos químicos inofensivos. As tinturas são uma inovação formidável na época, oferecendo uma gama sutil de cores, enquanto os outros métodos existentes no mercado, à base de henna ou de sais minerais, produzem um resultado artificial e chamativo. Schueller registra a patente (n°383920) em 24 de março de 1908.

  • © L'Oréal

    A primeira edição da revista La Coiffure de Paris é publicada em outubro de 1909, trazendo artigos de médicos, escritores e químicos. Eugène Schueller faz parte do Comitê Editorial e é responsável pela coluna de ciências, inovando com um artigo sobre coloração capilar no qual ele é o primeiro a recomendar os testes de contato. Schueller adquire a revista em 1912.

1910

  • © L'Oréal

    Através de sua determinação e ambição, Eugène Schueller consegue convencer os cabeleireiros de Paris a adotar suas colorações. Ele está cheio de ideias para desenvolver sua nova empresa e contrata representantes para vender seus produtos em toda a França. Ele também cria uma escola de coloração na Rue du Louvre, em Paris, que ele mesmo supervisiona, utilizando um ex-cabeleireiro da Corte da Rússia para demonstrar suas ideias. Percebendo rapidamente que seu sucesso está estreitamente ligado ao sucesso dos cabeleireiros, ele logo cria um elo privilegiado com a profissão, que se torna cada vez mais forte com o passar do tempo.

1920

  • © L'Oréal

    Com o fim da guerra, uma nova era se inicia. No mundo inteiro, as mulheres trabalham, ganham dinheiro, ficam mais preocupadas com sua aparência e buscam formas de evitar que os cabelos brancos denunciem a sua idade. As colorações Oréal são um grande sucesso, até mesmo além das fronteiras da França, levando a inovação para a Itália em 1910, a Áustria em 1911, a Holanda em 1913, mas também para os Estados Unidos, o Canadá, o Reino Unido e o Brasil.

1925

  • © L'Oréal Archives/ Jean-Claude, All rights reserved

    Talentoso e multifacetado, Eugène Schueller continua a se dedicar a diversas iniciativas, como a fabricação de celuloide, verniz e plásticos (criando até mesmo uma empresa na Rússia!). O seu sucesso na indústria acaba fortalecendo sua convicção de que a pesquisa e a inovação são a base do crescimento e do sucesso. Schueller continua a inovar no campo da beleza e cria L’Oréal d’Or, um produto clareador totalmente inédito, que confere reflexos dourados aos fios, deixando os cabelos loiros com um aspecto ainda mais natural.

1928

  • © L'Oréal
    © loupot, Paris 2009

    Eugène Schueller adquire a empresa Savons Français, que havia sido fundada em 1920. A fábrica localizada na Rue Martre, em Clichy, se tornaria mais tarde a sede da L’Oréal. Eugène Schueller começa a planejar a modernização do negócio, focando na melhoria da qualidade e modificando a campanha publicitária da famosa marca Monsavon.

  • © L'Oréal /Rudomine/DR

    (Loção capilar O’Cap: faz espuma e lava sem água). Em uma época em que as pessoas ainda não tinham o costume de lavar os cabelos com certa frequência, esta espuma de lavagem cujo nome vem do termo francês para loção capilar, Eau Capillaire, coloca o shampoo no mercado, refletindo as premissas de uma abordagem educativa que Eugène Schueller prezava muito: uma campanha para conscientizar gradativamente os franceses com relação a questões de higiene pessoal.

1929

  • © L'Oréal
    © loupot, Paris 2009

    Na tentativa de oferecer cores cada vez mais duradouras e sutis para os cabelos, Eugène Schueller procura desenvolver uma solução orgânica de coloração, capaz de penetrar na fibra capilar, e com base em uma patente registrada alguns anos antes para um grupo de colorações de penetração rápida, conhecido como paradiaminas. Imédia conquista um sucesso imediato e fulgurante, ressaltado por uma nova e revolucionária solução de embalagem lançada em 1931: enquanto os concorrentes comercializavam os seus produtos em grandes recipientes, com um alto risco de oxidação, Eugène Schueller inova ao embalar os produtos Imédia em doses individuais, para melhorar o conforto e a segurança dos cabeleireiros e das clientes finais.

  • © L'Oréal /DR

    Eugène Schueller logo percebe o valor de uma de suas primeiras fórmulas descolorantes e declara: “Este pequeno frasco contém uma imensa indústria! Um dia, milhões de morenas vão querer ser loiras.” O cinema logo provaria que ele estava certo. As estrelas de Hollywood, lideradas por Jean Harlow - atriz principal do filme “Platinum Blonde” – lançaram a nova moda do loiro, considerado a cor mais sedutora da época. O pó descolorante L’Oréal Blanc fez um enorme sucesso entre os melhores cabeleireiros, dando origem até mesmo ao clube “Loira Platinada”, formado por consumidoras entusiasmadas!

1931

  • © L'Oréal
    © loupot, Paris 200

    Não se contentando apenas em criar novos produtos, Eugène Schueller usa os seus talentos para criar eventos promocionais e inventar novas estratégias publicitárias. Em 1931, ele tem a ideia de cobrir com uma lona a fachada de um prédio parisiense para criar um cartaz gigante para a loção capilar O’Cap. Em 1932, quando os comerciais de rádio ainda estavam começando e os anúncios eram lidos do começo ao fim no estúdio, Schueller é o primeiro a transmitir um comercial cantado em vez de falado. Assim nasceu o “jingle” publicitário.
    Schueller acreditava que havia dois tipos de publicidade: publicité d’attaque (publicidade de ataque), feita para despertar a curiosidade, e publicité de rendement (publicidade de rendimento), feita para maximizar as vendas.

1933

  • © L'Oréal / Arik Nepo, All rights reserved

    Para incentivar as mulheres a focar mais em produtos de cuidados, em uma época em que a indústria de beleza e higiene pessoal estava ajudando as mulheres a conquistar mais liberdade, Eugène Schueller publica Votre Beauté, a primeira revista mensal feminina dedicada à beleza e à saúde. O químico e industrial acrescenta uma corda suplementar a seu arco através de seu trabalho como editor, jornalista e diagramador, sempre buscando uma forma de atender às verdadeiras expectativas, estilos de vida e necessidades das mulheres. O resultado é uma nova abordagem com relação à aparência.

  • © L'Oréal / Vitez Studio, All rights reserved

    O shampoo — derivado da palavra hindi “champo”, que significa massagear ou amassar — ainda não havia se tornado um produto do dia a dia. Não é de se surpreender, uma vez que os shampoos feitos por cabeleireiros, usando sabão preto fervido na água e misturado com cristais de sódio, não eram muito convidativos para os consumidores. A L’Oréal finalmente coloca à disposição dos profissionais do ramo um verdadeiro shampoo sem sabão (sulfatos de álcool graxo), muito mais suave para os cabelos e vendido em garrafas de 1 litro. Conhecido como “Dopal”, esta linha de produto é vendida até hoje sob o nome “Dop”.