De estagiário a Diretor: conheça a trajetória de Denner Evangelio na L’Oréal Brasil
Grupo L´Oréal

Os times vencedores na L’Oreal são aqueles que abraçaram os processos de mudança constantes e se adaptaram para serem ágeis, sem perder a eficácia dos seus resultados”

Denner Evangelio

Superar expectativas e capacidade de adaptação são duas características da carreira de Denner Evangelio, Diretor de Supply Chain para a Divisão de Produtos Profissionais (DPP) e a Divisão de Luxo desde 2015. O início como estagiário, em 2005, na Fábrica do Rio de Janeiro e a experiência na França logo em seguida - na área de Qualidade Industrial - serviram como uma base para entender melhor a área operacional da companhia, o que foi fundamental para sua carreira à frente da Direção de Supply Chain nas duas divisões. Apesar da área não estar nos seus planos iniciais de carreira, Denner descobriu um novo talento ao se deparar com oportunidades na área: “O dinamismo da L’Oréal e a capacidade que o Grupo prove para fazer coisas diferentes às vezes nos leva a descobrir novas paixões”.

A liberdade de participar de projetos diversificados foi a oportunidade perfeita para Denner mostrar seu potencial em diferentes áreas ligadas à visão estratégica da empresa, em particular um projeto de implementação de sistemas nas fábricas, que destaca como um ponto-chave em sua carreira: “O grau de complexidade do projeto e o volume de interlocutores nacionais e internacionais, indo desde fornecedores ao marketing, contribuíram fundamentalmente para o desenvolvimentos das habilidades necessárias para posições de liderança na L’Oréal”.

Leia a entrevista com Denner:

Como foi sua trajetória dentro da L'Oréal?

Comecei na L’Oréal como estagiário na fábrica do Rio de Janeiro em 2005, a partir do jogo “Ingenius Contest” uma espécie de Brandstorm industrial que existia na época. Depois de dois anos na fábrica na área de Qualidade Industrial tive a oportunidade de estagiar na França, na área de qualidade global de componentes de embalagem. Em 2008 voltei ao Brasil e iniciei minha carreira na área de produção/qualidade. Em 2012 vim para Supply Chain com o propósito de me aproximar mais ainda do negócio e trabalhar na construção das novas centrais de distribuição no Brasil e criar a área de Projetos de Supply Chain. Agora, trabalho na Direção de Supply Chain para a Divisão de Produtos Profissionais e Divisão de Luxo com objetivos de encontrar oportunidades de integração e melhorias na relação com o negócio e clientes de ambas as divisões.

Você tinha um plano para sua carreira que mudou após entrar na L'Oréal?

Inicialmente, sempre sonhei com a Direção da Fábrica do Rio de Janeiro ou de outra fábrica do Grupo. Hoje, vejo meu futuro em Supply Chain ou em outras áreas de negócio das divisões. O dinamismo da L’Oréal e a capacidade que o grupo prove para fazer coisas diferentes às vezes nos leva a descobrir novas paixões.

Como a companhia te ajudou a traçar seu caminho e desenvolver suas potencialidades?

Uma das coisas que mais gosto na L’Oréal é que nunca recebi um “não” para alguma iniciativa ou projeto. Sempre fui desafiado a demonstrar que aquilo fazia sentido e estava alinhado com a visão estratégica daquele momento. Isso me fez ter sempre um alto grau de liberdade e capacidade de demonstrar meu trabalho para todos e, desta forma, procurar as oportunidades que faziam sentido. Essa liberdade também me permitiu participar de projetos diversos e que contribuíram fundamentalmente para o meu crescimento, mesmo que não relacionados com a rotina do que fazia naquele momento.

Qual foi a sua maior oportunidade dentro da empresa, a que te abriu mais portas ou foi decisiva para deslanchar sua carreira?

Sem sombra de dúvidas foi o projeto WISE de implantação de SAP (Sistemas, Aplicativos e Produtos para Processamento de Dados) nas fábricas do Brasil. O projeto me permitiu encontrar uma habilidade, que é a de gerir projetos. O grau de complexidade e o volume de interlocutores nacionais e internacionais, desde fornecedores ao time de marketing, contribuíram fundamentalmente para o desenvolvimentos das habilidades necessárias para posições de liderança na L’Oréal.

Quais os desafios de assumir uma posição de liderança dentro da L'Oréal?

O maior desafio do dia a dia de um gestor na L’Oréal é saber fazer a correta leitura do momento e como transformar isso em visão e missão para o time, para que consigam perceber um caminho a seguir de forma clara. É de suma importância que o gestor da companhia saiba estar próximo do time, sempre conectado às necessidades mais operacionais e sem perder contato com o dia a dia da sua atividade. Os times vencedores na L’Oréal são aqueles que abraçaram os processos de mudança constantes e se adaptaram para serem ágeis, sem perder a eficácia dos seus resultados.

O que representa para você ter crescido e construído uma carreira na L'Oréal?

Foi um passo importante dentro da minhas ambições, tanto profissionais quanto pessoais. Tenho uma visão muito clara das etapas da minha carreira desde os 22 anos, quando fui desafiado a fazer um plano de 10 anos da minha vida (que carrego comigo até hoje e sempre reviso todo ano), que tem sido bem sucedido até agora. Este plano me dá senso de propósito e a cada dia que acordo, a cada desafio vencido e a cada frustração, consigo ver claramente os passos que alcancei.

Qual a principal dica para alguém que está começando na L'Oréal e quer seguir carreira dentro do Grupo? O maior desafio é sempre buscar estar além das expectativas. Sempre buscar ver um pouco além do horizonte e se preparar o tempo inteiro para o próximo passo. Não tenha medo de ousar e de tentar coisas novas. Tenha resiliência para percorrer o caminho que você acredita.