Academia Manufatura L'Oréal forma jovens de comunidade em programa de inclusão social
Grupo L´Oréal

14 jovens receberam o certificado de Operadores de Produção da Indústria da Beleza. Alguns deles já estão trabalhando na L’Oréal

Operadores de Produção da Indústria da Beleza

Dentro do Sharing Beauty With All, compromisso de sustentabilidade da L’Oréal, a inclusão social é uma das prioridades. O programa Academia Manufatura da L’Oréal Brasil com o Formare se insere na filosofia de inclusão de pessoas de comunidades em projetos de qualificação no mercado de trabalho. No dia 06 de março deste ano, 14 alunos da terceira turma se formaram  em uma cerimônia na Fábrica de São Paulo da empresa. A iniciativa é desenvolvida pela L'Oréal Brasil em parceria com a Fundação Iochpe para preparar jovens das comunidades do entorno da unidade em situação de vulnerabilidade econômica e social para o mercado de trabalho e já formou 52 alunos em três anos. Na formatura, os estudantes receberam o certificado de Operadores de Produção da Indústria da Beleza. Em dez meses de curso, os jovens tiveram aulas ministradas por mais de 70 Colaboradores da Companhia. As aulas da próxima turma se iniciam ainda em março com 20 novos alunos. 

Para Antônio Grandini, Diretor da Fábrica de São Paulo, o prograna é uma forma de ajudar os Colaboradores a terem um propósito diferente na rotina de trabalho, pois aumenta o sentimento de pertencimento ao trabalhar em uma empresa mais inclusiva. “O programa, no seu pilar social, trouxe para a fábrica uma oportunidade singular de quebrar barreiras e silos e fazer com que houvesse um aumento na integração das pessoas, nas atividades da rotina da operação”, destacou. Ele ressalta, também, a transformação na vida dos jovens: “Eles saem daqui prontos para assumirem uma posição de operador, qualificado e preparado também em tudo que se relaciona a comportamento, atitude, saúde, segurança, meio ambiente, qualidade e tecnologia”. Dos formandos da terceira turma, três já estão realizando um trabalho temporário na Fábrica e outros alunos já estão confirmados como jovens aprendizes.  

Para Maria Ligia Pereira, Analista de RH da Fábrica e coordenadora do programa, é possível observar uma evolução desde a primeira turma. “Entramos agora em um contexto mais consistente e já é reconhecido dentro e fora da L’Oréal. A sensação, com mais uma formatura, é de dever cumprido”, celebrou. Já a formanda Taynara Aparecida acredita que o curso a ajudou a ter mais foco no futuro profissional. “Estar aqui é uma oportunidade única. É muito gratificante ver que entrei de um jeito e vou sair uma pessoa totalmente diferente - levo comigo muito aprendizado, amigos”, declarou.  

O formando Henrique Felippe também vê o curso como um processo de crescimento pessoal e profissional: “Eu aprendi muito com as pessoas que conheci aqui, principalmente sobre questões de ética, educação e respeito. Estou muito orgulhoso de tudo que construí”. 

Programa inspira trabalho em equipe e conhecimento 

Os alunos da Academia de Manufatura com o Formare passam boa parte do dia imersos nas 19 disciplinas do curso, que são abordadas pelo viés prático e teórico - a última turma, por exemplo, teve aulas no Instituto Butantã e na Microsoft, em São Paulo. No projeto integrador, que faz parte do cronograma de aulas, as turmas conheceram mais sobre a indústria 4.0, método que utiliza as novas tecnologias para processos de automação e troca de dados. Na prática, os alunos desenvolveram o conteúdo de um site sobre a Academia de Manufatura e um game, em parceria com o Senai, que mostra as regras da fábrica de um modo dinâmico e interativo. O último projeto está no processo para virar um aplicativo disponível no Play Store. 

Para Rogério Camargo, Supervisor de Planejamento de Produção e professor de relacionamento e trabalho de equipe, a turma se destacou pela superação. “Para os alunos, é uma oportunidade de aprendizado. Para nós, também é uma experiência que nos agrega conhecimento. A Academia Manufatura com o Formare é um orgulho para todos que participam do programa”, ressaltou. Já Francinaldo Gomes Passos, Eletricista e professor de automação industrial, relembra que no início a turma apresentou dificuldades em alguns assuntos. Ele destaca, no entanto, que o programa tem a preocupação de pegar temas mais complexos e transformá-los em abordagens mais próximas do dia a dia dos estudantes. “É muito inspirador participar da iniciativa porque mostra o ato de doar nosso tempo e energia. Estou muito emocionado de ver a minha terceira turma se formando hoje”, concluiu.