Estimular zero desmatamento no cerrado é o compromisso do Grupo L’Oréal
Grupo L´Oréal

Com assinatura do Manifesto do Cerrado, companhia se juntou a um grupo de 60 empresas globais para combater o desmatamento do bioma brasileiro.

Manifesto do cerrado

Consolidando o compromisso de se tornar referência sustentável nas questões de mudanças climáticas e protagonismo social, o Grupo L’Oréal assinou o Manifesto do Cerrado, um acordo internacional para alertar sobre o desmatamento na região, que hoje é uma das mais devastadas no Brasil. A L’Oréal faz parte de um grupo de organizações mundiais que anunciaram apoio ao compromisso no Fórum Econômico Mundial, realizado em Davos (Suíça) , no final de janeiro. Ao assinar o manifesto, o Grupo L’Oréal reitera seu compromisso com a preservação do meio ambiente por meio do Sharing Beauty With All. A companhia tem se comprometido a estabelecer um modelo de economia mais consciente e já apresentou uma redução nas emissões de CO2 e gastos com água, além de outras medidas sustentáveis que impactam todas as etapas de produção.

Manifesto conta com o apoio de 60 empresas globais

Lançado no último Dia do Cerrado, em 11 de Setembro de 2017, o Manifesto do Cerrado foi elaborado por uma junta de 23 instituições globais, entre elas o Greenpeace Brasil, a World Wide Fund for Nature (WWF) e o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM). Com o apoio de novas empresas, entre elas a L’Oréal, o Manifesto já possui uma lista de 60 organizações. O documento pede medidas imediatas em defesa do Cerrado às empresas e investidores que exploram o bioma a adotarem políticas e compromissos eficazes para eliminar o desmatamento. Além disso, o manifesto solicita que essas instituições desvinculem suas cadeias produtivas de áreas naturais e recuperem e reutilizem áreas já impactadas para evitar a abertura de novas frentes de exploração.

O Cerrado é desmatado cinco vezes mais rápido do que a Amazônia, segundo pesquisas oficiais. Se o padrão de devastação observado de 2003 a 2013 for mantido, as consequências serão graves para o meio ambiente, como a extinção de mais de 400 espécies de plantas; dizimação de cerca de 34% do Cerrado; e mudanças no funcionamento de todo o bioma, o que acarretará na capacidade de oferecer serviços ambientais fundamentais à população local e ao próprio agronegócio.

Projeto de ganhadora do prêmio L’Oréal-UNESCO-ABC Para Mulheres na Ciência estuda os impactos do desmatamento do Cerrado

Uma das ganhadoras do prêmio L’Oréal-UNESCO-ABC Para Mulheres na Ciência de 2016 e vencedora do International Rising Talent de 2017, Fernanda Werneck estuda o bioma da Amazônia e do Cerrado e os impactos que o desmatamento e as mudanças climáticas nessas áreas trazem ao meio ambiente. A pesquisadora de Ciências Biológicas do Instituto de Pesquisa da Amazônia (INPA) busca estimar os riscos de extinção e capacidade de adaptação de espécies que vivem nesses dois locais. O reconhecimento do estudo da cientista aliado aos compromissos do Sharing Beauty With All posicionam a L’Oréal como uma das empresas que atu