A pigmentação sob o olhar dos pesquisadores

Considerando a pele como um tecido biológico, os pesquisadores da L’Oréal conseguiram um entendimento avançado sobre as desordens de pigmentação.

Skin color diversity
Skin color diversity

Fibroblastos, moduladores da pigmentação


Durante várias décadas, os pesquisadores da L'Oréal se interessaram pelos complexos processos biológicos que controlam a pigmentação epidérmica. Hoje, eles conseguiram dominar o envelhecimento da função de pigmentação da pele. Sua intuição: a melanogênese (a produção de melanina, pigmento responsável pela coloração da pele e dos cabelos) não deveria ser o único alvo de tratamento de distúrbios de pigmentação. Certos componentes da derme, particularmente os fibroblastos, poderiam desempenhar também um papel na regularização da pigmentação. Uma hipótese ousada, confirmada por testes efetuados em modelos de pele reconstruída pigmentada.

Resultados concretos e efetivos


A demonstração do papel principal desempenhado pelo fibroblasto no funcionamento da pigmentação revolucionou as estratégias para o clareamento da pele ao acrescentar o componente dérmico ao da epiderme - que, até então, era a única coisa considerada. Isto levou ao desenvolvimento (para todas as marcas da L'Oréal) de um quarteto de ingredientes ativos que agem na epiderme, no melanoma, no stress oxidativo e na derme.

Estes ingredientes ativos são atualmente encontrados na maioria dos produtos para cuidados diários, envolvendo, particularmente, os produtos para a correção de manchas.