Avaliações de desempenho

Um tratamento de cuidados com a pele ou um gesto de beleza estimula todos os nossos sentidos. Por este motivo, a L’Oréal sempre deu muita importância à avaliação sensorial dos seus produtos, o componente chave da preferência do consumidor.

Avaliação instrumental no centro de Pesquisa & Inovação da L'Oréal em Pudong, China

Avaliação instrumental no centro de Pesquisa & Inovação da L'Oréal em Pudong, China

Avaliação instrumental no centro de Pesquisa & Inovação da L'Oréal em Pudong, China

Avaliação instrumental no centro de Pesquisa & Inovação da L'Oréal em Pudong, China

O uso de um produto cosmético (creme, shampoo, máscara para cílios, etc) estimula os nossos sentidos. Identificando estas sensações e traduzindo-as em dados objetivos para entendê-las melhor é o que a análise sensorial pretende fazer. A L’Oréal tem sido há muito tempo a precursora neste campo: já em 1987, o Grupo criou um laboratório de pesquisas dedicado totalmente a esta disciplina. Suas equipes contribuem com seus conhecimentos para o desenvolvimento de produtos novos ou à evolução de produtos existentes. Somente a análise sensorial pode de fato assegurar que o desempenho de um produto irá atender às expectativas do consumidor.


Um método científico


O processo começa com a definição de uma terminologia precisa para descrever o perfil sensorial do produto. Um creme, por exemplo, poderia ser descrito como pegajoso ou gorduroso. Cerca de vinte termos são definidos desta forma. Usados sistematicamente por especialistas em testes, eles possibilitam coletar reações precisas e consistentes. Cada produto é testado por pelo menos 30 painelistas treinados e experientes que intervêm como verdadeiros "instrumentos humanos de medição". Com base em suas reações, fica estabelecido um perfil sensorial do produto. Se os resultados são considerados satisfatórios, o produto será testado em um painel de consumidores. Este último passo exige também técnicas analíticas rigorosas, tais como a cartografia de emoções expressadas durante os testes, ou a análise das expressões corporais dos consumidores, filmados ao usarem o produto.

Avaliação instrumental

Para verificar o desempenho de um produto, as equipes de engenheiros, mecânicos e ópticos da L’Oréal desenvolveram máquinas que permitem medir as propriedades físicas da pele e dos cabelos após a aplicação da fórmula. A objetividade desses métodos apoia-se em sua capacidade de reproduzir as condições reais da aplicação ou do uso dos produtos. Entre as divisões de cuidados com os cabelos, cuidados com a pele e maquiagem, cerca de cem máquinas foram imaginadas: análises topográficas do micro-relevo da pele, xenoteste, cromosfera, skinchip, pêndulo de flexibilidade, achatador de cachos, peruca móvel, testador de danos em esmaltes, teste de resistência à água para máscaras de cílios...