Testes de segurança e a avaliação preditiva

Graças aos testes preditivos, os pesquisadores da L’Oréal conseguem determinar cientificamente e com antecedência a segurança e eficácia dos novos produtos desenvolvidos e seus ingredientes .

Pesquisadores no Centro de Avaliação Preditiva da L'Oréal em Gerland

Pesquisadores no Centro de Avaliação Preditiva da L'Oréal em Gerland

Pesquisadores no Centro de Avaliação Preditiva da L'Oréal em Gerland

Pesquisadores no Centro de Avaliação Preditiva da L'Oréal em Gerland

Nosso centro de avaliação preditiva em Gerland é precursor de uma nova visão de beleza ética e ativa
Laurent Attal Vice-Presidente Executivo de Pesquisa e Inovação do Grupo L'Oréal

No mundo dos cosméticos, a avaliação possibilita comprovar a segurança e a eficácia dos produtos e seus ingredientes - uma área na qual a L’Oréal é pioneira, graças particularmente à sua expertise na reconstrução de pele humana por mais de 30 anos. Com os modelos de pele reconstruída, ao reproduzir a estrutura da pele humana e ao imitar perfeitamente as condições para a aplicação de produtos, é possível "prever" certas reações fisiológicas humanas. Uma ferramenta fabulosa sobre a qual milhares de fórmulas e centenas de ingredientes são testados anualmente, e que possibilitou a descontinuação de testes em animais com produtos acabados desde 1989 (14 anos antes de se tornar uma obrigação legal). Hoje, o novo centro de pesquisa em Gerland, perto de Lyon (França), dedicado à avaliação preditiva, produz anualmente 130.000 unidades de tecido reconstruído.

Uma nova era para a ciência da avaliação


Beleza Ética

Estes modelos de pele reconstruída e de outros tecidos, tais como a córnea, são atualmente industrializados e integrados em uma abordagem preditiva global que utiliza uma gama de ferramentas e técnicas sofisticadas: modelagem molecular, sistemas especializados e ferramentas estatísticas, métodos de imagem, plataformas robotizadas... Graças a esses novos testes e ao conhecimento que a L’Oréal tem acumulado por mais de um século, tornou-se possível prever a segurança e a eficácia de um ingrediente - e o produto que o contém - antes mesmo de sua sintetização. O centro de avaliação preditiva em Gerland está no coração de uma rede internacional que se estende da França à Ásia (Pudong), onde as primeiras peles asiáticas foram reconstruídas em 2010.

A fabulosa história das peles reconstruídas

No início dos anos 1980, nos laboratórios da L’Oréal perto de Paris, um jovem biólogo reconstruiu com sucesso uma epiderme humana. Desde então, modelos de pele se tornaram gradativamente mais complexos e apresentaram características sempre mais próximas da pele humana em seu estado natural. Eles nos permitem avaliar, antes do desenvolvimento de produtos, a segurança e eficácia dos seus ingredientes componentes. Estas peles reconstruídas também são úteis para a seleção de novos ingredientes ativos que devem lutar contra o envelhecimento da pele, a pigmentação e os danos solares, por exemplo. Elas continuam oferecendo respostas a muitas perguntas feitas por pesquisadores acerca dos mistérios da pele. Hoje, a L’Oréal possui uma dúzia de modelos de pele e outros tecidos (córnea, gengiva e mucosa pulmonar) reconstruídos.