Líderes da L’Oréal Brasil dão dicas para crescer na carreira e trocam experiências sobre os times
Grupo L´Oréal

Conversamos com Thaís Paula, Diretora Administrativo Financeira, e Rafael Bittencourt, Diretor da marca Kérastase

 

Líderes da L’Oréal Brasil dão dicas para cresce

O que significa ser líder de um time? Para os gestores da L’Oréal Brasil, a missão de liderar grandes equipes não se trata apenas de inspirar o trabalho dos Colaboradores: o cargo traz também uma série de desafios, que incluem estimular o crescimento e respeitar os aspectos individuais de cada um em meio ao coletivo. Para entender melhor esse contexto e se inspirar, conversamos com dois diretores de diferentes áreas e marcas, que nos falaram sobre sua experiência de liderança e deram dicas para o desenvolvimento na Companhia.

Confira o relato de cada um deles: 

Thaís Paula: ser líder é ter uma responsabilidade motivacional para o time

Thaís Paula, Diretora Administrativa Financeira da Divisão de Produtos de Grande Público (DPGP), percorreu um caminho diversificado dentro da L’Oréal Brasil: começou como Diretora Financeira na Divisão de Cosmética Ativa, assumiu a liderança financeira na área Corporate e, depois, foi Chief Financial Officer (CFO) durante a integração de Niely à L’Oréal Brasil. “Com a integração tendo sido feita de forma satisfatória, fui chamada a assumir a Gestão da Divisão DPGP+Niely, onde estou há dois anos fazendo um trabalho de implementação de sinergias e prioridades para a divisão”, conta.

Para ela, um dos desafios de ser líder de um time é manter-se presente na vida dos Colaboradores, mesmo em momentos atribulados com reuniões, visitas e apresentações. O cargo traz também uma responsabilidade motivacional: “Ser líder de um time significa fazer as pessoas entenderem o motivo pelo qual elas trabalham. Significa ter um time trabalhando por você com a certeza de que você está trabalhando por eles!”

O conselho de Thaís para aqueles que desejam crescer na carreira e se tornarem líderes no futuro é mostrar-se curioso, questionando informações e propondo alternativas. Outra dica é estar pronto para momentos de exposição. “Não é sempre que você vai entrar numa sala com alguém importante”, diz. “Mas quando for, se prepare e se faça notar. Todo mundo gosta de recomendar alguém que causa uma ‘primeira boa impressão’”, ressalta.

Rafael Bittencourt: é preciso entender que dentro de um time existem perfis distintos

Já Rafael Bittencourt, atual Diretor de Kérastase, começou como coordenador de microdistribuição, com a missão de  desenvolver um novo canal de distribuição para a Divisão de Produtos Profissionais (DPP). Depois de uma passagem por L’Oréal Professionnel como gerente regional, Rafael teve a oportunidade de ir para Nova York trabalhar como Gerente de Marketing de Redken e Pureology na DPP Estados Unidos. Voltou ao Brasil responsável pela marca no país: “Nessa posição, tive a oportunidade de utilizar tanto o meu background comercial, como, o meu aprendizado de marketing, fundamental para que Redken terminasse 2017 com o maior crescimento da Divisão”, diz.  No mesmo ano, foi convidado a assumir a direção de Kérastase.

De acordo com Rafael, os líderes têm o papel de envolver seus times na missão, respeitando a individualidade de todos - o que também traz desafios. “É preciso entender que dentro de um mesmo time, existem pessoas com perfis bem distintos, que pode exigir abordagens diferentes”, explica. “É fundamental que o líder esteja atento a esse ponto, para que assim,  possa extrair o melhor de cada pessoa.”

Ele aconselha que os Colaboradores tenham clareza de seus objetivos, procurando pessoas que possam contribuir para seu crescimento profissional. Rafael finaliza: “É muito importante que cada um se sinta e aja como responsável pela gestão da própria carreira. Essa atividade não pode ser terceirizada ao RH, ou, ao seu gestor imediato”.