L’Oréal Brasil participa de evento global sobre liderança feminina no Rio de Janeiro
Grupo L´Oréal

Global Forum on Women’s Leadership, uma iniciativa da Universidade de Columbia, reuniu mulheres excepcionais para discutirem a questão da representatividade

 

L’Oréal Brasil participa de evento global sobre liderança
No último dia 8, a L’Oréal Brasil participou do Global Forum on Women’s Leadership: Fighting Gender Bias (Fórum Global sobre Liderança Feminina: Combatendo o viés de gênero), um fórum internacional sobre liderança feminina nas organizações. A iniciativa da Universidade de Columbia (EUA) reuniu mulheres, no Museu do Amanhã, para discutirem a importância da representatividade para combater o preconceito de gênero. Cristina Garcia, Diretora Científica da L’Oréal e jurada do programa Para Mulheres na Ciência, participou de um painel sobre a educação igualitária como um caminho eficaz para diminuir a desigualdade de gênero.

O evento mostrou como o equilíbrio de gênero transforma os ambientes de trabalho e a vida dos colaboradores em três áreas principais: meio ambiente e sustentabilidade, educação e tecnologia. As discussões abordaram, ainda, como a representatividade é fundamental para esse alcance, com a ideia de que ver mulheres em cargos de liderança muda a forma como a sociedade vê o papel delas.

Para Cristina, foi uma oportunidade de mostrar as iniciativas da L’Oréal nesse sentido: “Participar desse tipo de evento nos dá sempre visibilidade para falar como a Companhia trabalha ativamente internamente para promover a igualdade de gêneros e a diversidade, além da possibilidade de divulgar o forte trabalho de Pesquisa e Inovação que fazemos no Brasil”. 

Mulheres na Ciência: um longo caminho ao equilíbrio de gêneros

No cenário global, as mulheres representam apenas 28% dos pesquisadores, de acordo com um estudo da UNESCO. E apenas 3% dos ganhadores do Prêmio Nobel são mulheres. Em sua apresentação, Cristina Garcia também fez um panorama do prêmio no Brasil, que já premiou mais de 80 jovens cientistas em 13 edições. “É uma ótima oportunidade para divulgar a importância do programa para reconhecer o trabalho de jovens cientistas mulheres no Brasil, assim como para servir de inspiração para que elas queiram seguir uma carreira científica”, declarou.