No Rio+20: biodiversidade como fonte de inovação

A participação da L’Oréal na conferência Rio+20 incluiu a presidência de uma mesa-redonda sobre a exploração responsável da biodiversidade, que se tornou um ativo valioso para a empresa.

Biodiversidade
Biodiversidade

Em junho de 2012, vinte anos depois da Eco-92, a quinta conferência sobre o meio ambiente conhecida como “Rio + 20” foi realizada no Brasil. O desafio desta conferência, que reúne los líderes mundiais a cada dez anos, e cujo tema em 2012 foi a economia verde, foi provar que há uma vontade coletiva de criar uma cultura mundial de desenvolvimento sustentável.

A L’Oréal contribuiu ao presidir uma mesa redonda sobre a exploração responsável da biodiversidade, que se tornou um ativo valioso para a empresa. "Hoje, 40% da economia global é considerada dependente da saúde dos ecossistemas. Estamos tentando incentivar a biodiversidade a fim de preservá-la, criando novos ativos que sejam renováveis ou inspirados na natureza", explica Rachel Barré, Gerente de Projeto de Pesquisa Ambiental e Desenvolvimento Sustentável na área de Pesquisa e Inovação da L’Oréal. Esta abordagem de química verde resultou, por exemplo, na Pro-Xylane, uma molécula anti-idade feita a partir de resíduos produzidos pela indústria de papel.

Rio +20

  • 40% da economia global é considerada dependente da saúde dos ecossistemas